Informação é aqui!

Aprovado na Assembleia Legislativa projeto que bane os canudos plásticos

A iniciativa se ampara no amplo conhecimento da população do impacto nocivo do plástico ao meio ambiente

A Assembleia Legislativa aprovou, na tarde de terça-feira, 16, Projeto de Lei de autoria do deputado João Amin (PP) que torna obrigatório que os estabelecimentos comerciais de Santa Catarina utilizem canudos fabricados com produtos biodegradáveis ou similares em substituição aos descartáveis de material plástico.

A iniciativa se ampara no amplo conhecimento da população do impacto nocivo do plástico ao meio ambiente. Em sua justificativa, o deputado destaca que “a vida útil estimada de um canudo plástico é de aproximadamente quatro minutos, enquanto que o choque que exerce na natureza ultrapassa 200 anos.”

O parlamentar também ressalta que em todo mundo ganha força a campanha para dispensa do “canudinho“, de forma a convidar as pessoas a refletirem sobre a real necessidade de se consumir um artigo que facilita a vida por pouquíssimos instantes e causam impactos permanentes na natureza.

Segundo o parlamentar, “a iniciativa vai ao encontro de uma tendência mundial já que, recentemente, o Parlamento Europeu aprovou uma legislação para banir em toda a União Europeia uma série de produtos plásticos descartáveis, incluindo cotonetes, canudos, copos, pratos e talheres.”

Os canudos plásticos são geralmente feitos de polipropileno e poliestireno, produtos que não são biodegradáveis e que, uma vez dispensados no meio ambiente passam a poluir e, inclusive, podendo ser ingeridos por animais, principalmente marinhos, prejudicando assim todo o ecossistema. Como alternativa, há a possibilidade de fabricação em papel, silicone, vidro ou metal, sendo todas estas opções menos impactantes.

Vale destacar que o referido projeto foi construído em parceria com a Fiesc, Associação Brasileira dos Descartáveis Plásticos e Sindicato das Indústrias de Materiais Plásticos de Santa Catarina.

Fonte: Agência Alesc.

Veja Também
Comentários
Carregando